quarta-feira, 14 de agosto de 2019

A LEITURA É O PASSAPORTE PARA A SABEDORIA.


A imagem pode conter: texto


A leitura abre novos caminhos!

No post de hoje vamos caminhar lado ao de autores nacionais, entre o romance e a fantasia e as emoções da vida real.

Vamos celebrar a literatura nacional!

Vamos acompanhar as aventuras de Gaia, em Gaia: O templo esquecido, amar intensamente como Joan em O Marquês Devasso & Eu, se emocionar com a história de vida da ex-remadora Fabiana Beltrame e amar incondicionalmente como a Tessália, em Meu Benjamin.




Obra: Gaia - O templo Esquecido
Autora: Telma Brites Alves
Gênero: Fantasia


Quote:

Jaison não conseguia entender o que estava acontecendo, não sentia mais o próprio corpo. No entanto, sua mente estava mais ativa do que nunca, como se a única coisa que restasse dele fosse a memória.
 Espero que o efeito dessa droga não seja muito longo, é legal essa sensação, mas quero sentir meu corpo de volta pra trocar duas palavrinhas com o responsável da cozinha, pensou ele enquanto sentia o corpo fluidificado escorrer pelo interior do rochedo como uma catarata de água morna. Ai meu deus, tomara que nenhuma gota fique para trás ou se seque, quero meu corpo inteiro quando voltar ao normal.
Era um sentimento tão real de ser a própria cachoeira despencando dentro de uma rocha, que o rapaz começou a ficar com medo e a duvidar se estava vivendo uma experiência alucinógena ou real.



Obra: Heróis e Vilões - As aventuras do Sargento Wesley Montcarlo
Autor: Ajomar Santos
Gênero: Romance Policial
LANÇAMENTO EM PRÉ-VENDA!!

Quote:

— Sargento, olha só que carta mais linda esse cara escreveu!
Enquanto eu lia a carta, a mãe da vítima perguntou:
— E então, Doutora, alguma pista?
— Não, até agora. Tudo me faz crer que são, apenas, cartas de amor com declarações amorosas açucaradas de melancolia. Enquanto eu lia a primeira carta, a Delegada estava lendo a segunda carta.
[...]

— Que coisa linda! Olha só, Wesley.
— É, doutora, realmente, as coisas que estão escritas aqui são lindas, dignas de uma pessoa que seria incapaz de fazer algum mal para alguém.
— Mas se não foi ele quem matou a garota, quem será que foi?
— Isso é uma coisa que só o tempo é que poderá dizer.




Obra: Marilando
Autor: Rafael Carneiro
Gênero: Romance/Comédia
LANÇAMENTO EM BREVE!

Sobre a Obra:


Marilando é uma comédia que tem como enredo os principais momentos da vida do personagem que empresta o seu nome ao livro. Está ambientada na imaginária cidade de Miliano, no sertão da Bahia, palco das histórias dos personagens cômicos que passaram pela vida de Marilando.

Um jovem de família humilde, criado com pouco carinho e estudo, consegue, à base de muita determinação, tornar-se um consagrado médico e cientista, transformando oportunidades em conquistas, com eventos pilhéricos desde a sua adolescência até sua vida adulta.

Devota de Santa Tereza, Dona Maria, mãe de Marilando, mulher firme e de sinceridade desconcertante, comandante do lar, encontra um perfume na cama do filho e o entrega como doação para sua santa na paróquia. Frei José, franciscano que auxiliava na igreja, passou a usar o perfume que o garoto havia comprado para presentear a sua pretendente no primeiro encontro. O perfume, que passou por diversas mãos até ser guardado pelo pároco, entona as primeiras notas da engraçada vida do garoto, aprovado no vestibular cujo curso escolhido sequer sabia, ajudado por pessoas importantes na sua vida que não tinham noção de seu potencial, e que brilhou para além das fronteiras brasileiras com descobertas científicas extraordinárias.


Obra: O Marquês Devasso e Eu
Autora: Ligia Miraglia
Gênero: Romance Adulto


Quote:
Mas ela não era nem virgem, poderia ir para cama como Mitchel quando quisesse. Quer dizer, se ele concordasse com isso. Tocou os seios que estavam duros, implorando receber o toque das mãos dele. Tocou-se, apertando, tentando ao máximo fazer do jeito que ele fazia. Jogou a cabeça enquanto tentava aplacar o desejo que a consumia. As mãos acariciaram a barriga reta, descendo para as coxas, sussurrou o nome dele, fazendo com que Mitchel levantasse e fosse novamente até a porta e olhar pela brecha.
Joan estava com a cabeça encostada na banheira, os lábios entreabertos, apertou os olhos para ver melhor, então percebeu o que fazia... Estava se tocando, suas bochechas estavam rosadas... As mãos desceram para o meio de suas pernas.
“Jesus ela o enlouqueceria se continuasse com aquilo.”
A água se movimentou na banheira e ele teve certeza que ela tocava o centro de seu desejo, como queria ser ele a tocá-la e fazê-la gozar em suas mãos. Sentir os espasmos de seu corpo. Foi só então que ele notou que tocava a si mesmo com urgência. O corpo de Mitchel se contorceu com o desejo e o alívio de se libertar... Ela gritou por ele do outro lado da porta, Mitchel a ouviu claramente.
—Mitchel!



Obra: Eu te dou Meu Amor
Autora: Luna Brandon
Gênero: Romance Adulto
LANÇAMENTO EM BREVE!


Quote


Respiro fundo sentindo a brisa do mar acompanhada pelos primeiros raios do amanhecer, enquanto observo os pássaros darem voos rasantes sobre as ondas do mar. Os pelos dos meus braços estão arrepiados e o lençol que envolve o meu corpo como se fosse um vestido, tremula junto às cortinas com o vento sutil que entra pelas janelas da varanda.
Fecho os meus olhos, permitindo-me sentir aquela sensação de frio e calor banhar o meu rosto uma última vez e então sinto suas mãos quentes deslizarem por minha cintura fina, repousando sobre meu ventre. Repouso minhas mãos sobre as suas, entrelaçando nossos dedos e então com um sorriso abro os olhos para fitar os raios de sol através do Vesúvio.
— Acordou com o nascer do sol, minha bela? — ele sussurra em meu ouvido, roçando carinhosamente seus lábios na curva do meu pescoço.
— Gosto de ver o sol nascer — digo a ele. — E acabei perdendo o sono.
— Já que gosta, qualquer dia desses irei te levar para vê-lo nascer de outro jeito — ele sussurra.
— Como? — questiono virando meu rosto para o lado de modo que possa olhar para ele.
— No céu — responde olhando em meus olhos. — Confie em mim quando eu digo que ver o nascer do sol nos ares é a segunda maior beleza do mundo.
— E qual é a primeira? — quis saber. — O anoitecer? Ou seria o pôr do sol?
— Nenhum dos dois pode ser comparado com a sua beleza, Sarah — ele murmura com aquele sorriso sexy, fazendo com que meu coração bata em ritmo descompassado. — O amanhecer, o crepúsculo e o anoitecer possuem belezas singulares, mas não são dignos de tal comparação.
— Exagerado — acuso com um sorriso.
— Não, amor — nega. — Apaixonado.



Obra: Sorvete de Pizza Mentolado x Torpedo Tomate
Autora: JackMichel
Gênero: Fantasia


Quote:

Por obra da Magicação, a deslumbrante papelácea Colina de Papel estava ali em frente ao nariz de quem quisesse vê-la... Ela era uma colina que não era bem uma colina... era um lugar que não era bem um lugar... era algo ou alguma coisa que ficava muito alto e mais longe de tudo, como um tudo que não precisa se afastar por estar sempre perto de todas as coisas o tempo todo. O fato era que lá, ninguém precisava de nada, só era preciso ser... ser... ser... e... ter... ter... ter... um coração de papel que, às vezes parecia tão leve e tão grande de felicidade, que precisava-se voar para deixar a felicidade transbordar pelos espaços! No alto, bem no seu alto, do seu ponto mais alto, tudo ficava mais maravilhoso; pois flores, pássaros e besouros isoporados banhados pela Lua-Sol, batiam pétalas e asas na sua cópula nascimento-crescimento multiplicação que era a coisa mais radiante de se ver, mas que ninguém nunca via, por nunca ter ninguém ali. No solo da Colina de papel a gramínea miolo-flor estava por todo lugar, esparramada em fartas pétalas e miolos feitos de cetíneo papel de seda de cor rosa-metálico-azul-aço que, muitas vezes, ofuscava tudo por lá... Exceto os contínuos visitantes aparecidos constantes, ou seja, os inimagináveis irreais intrincados indecifráveis Marcianos-Bichos-Miolos-Flores, oriundos do planetóide Mytylas Far Marte, lugar que ficava boiando pelo mais completo nada do nada de nada, sem fazer nada, só girando no interior dos miolos florais da gramínea miolo-flor.



Obra: Mundos Paralelos
Autor: Vilson Pantano Jr.
Gênero: Romance baseado na Mitologia Nórdica
LANÇAMENTO EM PRÉ-VENDA!

Quote:

Quando o primeiro mago disparou, fez com que os inimigos se esconderem, nesse momento ela saltou por cima das caixas e correu para direção da escada, o segundo mago disparou e manteve o inimigo escondido dando tempo dela chegar à escada e assim abateu rapidamente o primeiro quando já saia para atirar, o segundo chegou a apontar a arma, mas ela foi mais rápida e bateu com o cabo no estômago dele e logo em seguida enfiou a outra espada em seu peito, se virou ficando atrás dele que recebeu a rajada de tiro que um terceiro que descia as escadas disparou e arremessou sua espada que acertou bem no meio do peito dele, agora havia somente inimigo vindo da entrada do prédio o que deixou as coisa mais fáceis, mas neste momento aparece Trur em cima da escada segurando uma pistola e pega Rehana distraída e quando iria atirar nela, ele arregalou os olhos e uma magia explode no peito dele o arremessando contra a parede fazendo cair em seguida, ele levanta e sai correndo subindo as escadas, Rehana olha para trás e vê Dhominic, com as duas mãos estendidas e respirando fundo.




Obra: Meu Benjamin
Autora: Priscila Ramos
Gênero: Drama
LANÇAMENTO EM PRÉ-VENDA!

Quote:

Nunca pedi que apoiassem meu pecado.
Nunca disse que eu estava certa, mas eu precisava que a "igreja" fosse igreja quando eu fracassei. Eu precisava que eles me colocassem de volta no aprisco. Eu os esperava caída, naquela estrada onde eles sempre passavam indo para sua ocupações, como o sacerdote e o levita. Eu não queria que eles passassem a mão em minha cabeça, eu só queria que eles me colocassem em seus ombros e me levassem de volta. Eu só queria voltar. Eles nunca sentaram comigo e me perguntaram como eu estava. Eu não merecia o tempo deles. Eles nunca souberam o que conto agora, pois nunca perguntaram. Eles não queriam ouvir nada além da sentença que haviam me dado. A vida fora do aprisco é assustadora. Eu só precisava voltar para a segurança, porém eles cerraram a porta do aprisco em meu rosto.



Obra: O Desafio das Águas
Autora: Fabiana Beltrame
Gênero: Autobiografia
LANÇAMENTO EM PRÉ-VENDA!


Quote:


Minha vida durante 19 anos foi treinar, me alimentar, descansar. Um amigo meu cantava para mim uma música do Chico Buarque: “todo dia ela faz tudo sempre igual…”. E era a mais pura verdade: tudo se repetia cotidianamente. Acordava às cinco da manhã, comia banana amassada com granola e mel, bebia café. Saía para treinar, deixava a bicicleta no clube, levava os meus reminhos para a água e remava por uma hora e meia. Havia dias de remar em voga baixa, com baixo número de remadas por minutos; noutros, treinos de maior intensidade. Depois que encostava, tomava um café com leite e um pãozinho e enfrentava um treino mais difícil no ergômetro, também com uma hora e meia de duração. Hora do almoço. Descansava um pouco e era hora de voltar para o terceiro treino, o da tarde, normalmente musculação, cerca de duas horas. Na volta para casa, uma breve refeição e já estava na cama às oito e meia da noite, porque no outro dia tudo se repetia.

Não havia férias. Se viajava, levava o ergômetro, não podia perder o meu condicionamento físico. O calendário de competições é cruel, quando acabavam os torneios mundiais começavam os sul-americanos, brasileiros e as seletivas para os próximos internacionais. Cansaço absoluto, mais mental até do que físico, embora este também fosse enorme. A verdade é que gostava de tudo isso, de cada vez ter tempos melhores, era um objetivo diário.

Eu me pressionei muito para ser a melhor. No auge da minha carreira, treinava seis horas por dia. Só pensava: “não posso parar, senão alguém vai ganhar de mim”. E há também a pressão do clube, da federação, da confederação, e quando se percebe não dá mais para sair do redemoinho. Treinei debaixo de chuva de granizo, com calor de 40 graus, com febre e com dor. Eu sempre odiei remar com chuva e frio, mas ia assim mesmo. Muitos atletas fingiam estar doentes, mas isso jamais passou pela minha cabeça.

É isso, realmente, o que diferencia os atletas de alta performance dos demais.

Hoje, olhando retrospectivamente, me dou conta de que fiz tudo isso por medalhas, ou “pedaços de metal”, como diz o meu terapeuta. Vício. É muito forte ter pessoas torcendo por você, alcançar tudo pelo tanto que se treinou, ser aplaudida.





Obra: A Odisseia do Fogo
Autor: Marcio Lima
Gênero: Romance mistico
LANÇAMENTO EM BREVE


Quote:


Quando o Guerreiro do Fogo chega ao local, ele encontra o Guerreiro Caído, preso ao chão por
muitas serpentes, e nem consegue falar. Um cenário horrível! São centenas de serpentes que o aprisionam, elas saem pela boca, ouvidos e narizes, impedindo que ele se comunique. Então o Guerreiro do Fogo pega sua bolsa de moedas cósmicas, e entrega três delas ao guardião, que o levou até ali, e pede imediatamente que solte o Guerreiro Caído daquele castigo. E como uma labareda de fogo, o Guardião da Justiça Divina retira o Guerreiro Caído daquele castigo.

O Guerreiro do Fogo põe as mãos sobre o Guerreiro Caído e diz:
− Fui enviado aqui pelo meu pai, a pedido dos seus pais, que governam o planeta Marte. Minha missão é longa e muito difícil, precisamos sair daqui.
Então o Guerreiro do Fogo junto com o Guerreiro Caído se teletransportam até o planeta Marte. Chegando lá, o Guerreiro Caído é levado a uma cama de Luzes de Orion, e precisa fica dois dias recebendo luzes do planeta Órion, que vai servir para limpar a grossa camada de sujeira, e o forte cheiro de enxofre.
− Fazia muito tempo que você estava longe da luz. Larvas estavam nas entranhas de seu corpo, precisamos limpá-lo.




Obra: Proteção Legal no crédito Rural
Autor: Antoane Amaro
Gênero: juridico
LANÇAMENTO EM BREVE!!


Sobre a Obra:

A obra visa reunir os direitos dos pequenos e mini-produtores rurais contido no ordenamento jurídico brasileiro, permitindo que os pequenos agricultores, operadores do direito e entidades envolvidas na produção agrícola possam consultar os benefícios proporcionados pela imensa legislação de proteção jurídica na obtenção do crédito rural junto aos bancos indo de encontro aos princípios constitucionais da dignidade da pessoa humana e da proteção assegurada pelo legislador constituinte ao produtor rural brasileiro.




                              Hoje ficamos por aqui pessoal, nos vemos em breve num livro!



                             A literatura é uma defesa contra as ofensas da vida.
























Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...