quinta-feira, 22 de junho de 2017

A Era a Escravidão Cultural- Leo Vieira

É isso mesmo que está no título: estamos nessa fase e poucos percebem. Escritores, músicos e ilustradores estão aceitando viver na humilhação artística. Estão aceitando pagar para apresentar a sua arte, através de antologias e filiações a preços absurdos. Estão aceitando pagar para ter atenção, entre outras coisas. É momento de reverter essa situação. Não é porque o que você faz adjunto ao seu trabalho e estudo que você irá aceitar qualquer imposição alheia em nome da arte. Muitos projetos, participações, inclusões e parcerias precisam de uma pausa de planejamento. Você trabalha de graça apenas pra si mesmo. E esse material que é o seu portfólio; e não fazer uma amostra grátis diferenciada. Há uma frase que diz: "pra que eu vou comprar uma vaca, se eu tenho onde ganhar leite de graça?" Tenha o seu preço e valor e aprenda a dizer não.

Leo Vieira


Leo Terário

® Leo Vieira- Direitos Reservados

quinta-feira, 15 de junho de 2017

A Raposa e as Uvas (Literárias)- Leo Vieira

Certa vez, uma vistosa raposa parou para observar uma bela vinha alta. Ela tenta todas as maneiras para alcançá-la e o seu esforço é em vão. Por não conseguir, menospreza alegando que estavam verdes.
"É fácil desprezar aquilo que não se pode obter". "Aqueles que são incapazes de atingir uma meta tendem a depreciá-la, para diminuir o peso de seu insucesso".
Existe um preço muito alto para o alcance dos sonhos. No meio literário, quanto mais criativo e articulado, mais espaço se obtém. Existem muitas alternativas e concursos literários para obter oportunidades de lançar seus projetos com o mínimo de valor investido possível.
Temos que pensar pequeno e começar sem pressa, definindo pequenas etapas.
E o essencial: não se comportar igual a raposa, menosprezando o sucesso literário alheio.

Leo Vieira

Leo Terário

® Leo Vieira- Direitos Reservados

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Parábola do Pomar- Leo Vieira

Um dia, um bom homem deixou a sua chácara aberta para a passagem dos amigos, que ao caminharem pela trilha, tinham acesso ao pomar, que estava carregado e a variedade de frutas eram grandes, podiam colher à vontade no tempo que precisarem e na quantidade que quiserem.
Só que mesmo assim, alguns deles reclamaram por não haver outras frutas (grátis). Outros ainda tiveram a petulância e sugerir que o dono do pomar recolhesse e selecionasse as frutas para eles. E ainda teve um que perguntou se também não tinha suco e geleia dessas frutas para doar.
É exatamente assim que alguns blogueiros se sentem com alguns "camaradas literários". No pomar de blogs e postagens que eles semeiam para todos, ainda assim alguns ainda resmungavam querendo que eles se desdobrem para oferecer além do que tem apenas para suprir os seus caprichos.
Prestigiem e respeitem os blogueiros.

Leo Vieira

Leo Terário

® Leo Vieira- Direitos Reservados

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...