sábado, 10 de setembro de 2011

Filha









Ela estava sozinha. Desatenta, distante, distraída. Do outro lado, a mesa do café estava posta. A sala, vazia.

Jovem menina, sempre foi o centro de sua própria atenção. A criança que queria ser adulta. A adulta que queria ser criança.

Sua mãe falou, ela até tentou compreender. Mas uma sombra pairava sobre seus olhos. Sombra intencional. Ela não quer encarar o presente. Ela não quer me encarar.

Ela correu. Não dava pra negar, realmente havia algo de errado.

Entrei em seu quarto, todo pintado. Lá, deitada, ela abafava o choro em seu travesseiro. Sentei-me ao lado dela, repouseu minha mão em sua cabeça, alisando seus cabelos levemente cacheados. Minha voz, calma e suave, mal ressoou quando foi abruptamente interrompida por outra, com uma delicada ira:

– Não me chame de filha! Isso não faz o menor sentido!

Eu continuei passando minha mão em seus cabelos. Ao mesmo tempo em que eu tinha a impressão de que ela estava se acalmando, notava que seu choro era mais intenso.

– Eu posso não ter sido alguém muito presente em sua vida. Posso ter te dado a impressão de que não ligava pra vocês e que fingia que vocês não existiam. Eu realmente não queria que nada disso tivesse acontecido, filha!

– Não me chame de filha! Eu já disso que isso não faz nenhum sentido!

A criança levantou-se bruscamente e fingiu desatar a correr. Seu choro foi mais forte, fazendo-a parar.

– Não me chame de filha! Não faz sentido... não faz! As fotos mostram que não faz! Você nunca esteve com a gente! Você nos abandonou! Eu nem sei direito qual é o seu nome, droga!

Era nítido que ela não conseguia segurar suas lágrimas. Seu belo rosto, vermelho e molhado, possuía uma expressão de raiva carente. Em volta, todas as bonecas e ursos testemunhavam a cena. Eu me levantei. Ela ficou de costas.

– Filha...

Repentinamente, a ela virou-se, atirando-se em meus braços. Com o rosto apertado em meu peito, ela soluçava.

– Está tudo bem, filha. Está tudo bem... Não precisa correr ou se esconder. Você sabe, de qualquer forma, que eu te amo! E essa é minha chance de te mostrar! Eu acredito nisso! Acredite nisso... não espere pelo amanhã, pois pode ser que ele não venha! Por favor, filha! Esse é o meu argumento, minha chance de me libertar. Dê-me este dia, e meu mundo nunca mais será o mesmo.

Ela continuava chorando. E cada vez que soluçava, me abraçava mais forte. Com a voz fraquejada, sussurrou em um tom quase mudo:

– Pai... não me deixe mais!
– Está tudo bem, filha... está tudo bem!



Inspirado na música "Daughter" e "It's Ok" (Pearl Jam)

Texto e criação do autor, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

13 comentários:

Everson Russo disse...

Muitas vezes o que mais precisamos na vida é esse abraço forte,,,esse sentimento e essa certeza de que enfim estamos protegidos....beijos de bom final de semana pra ti amiga...e obrigado pelo premio contemplado a mim,,,estarei enviando o email solicitado....beijos e beijos...

Aclim disse...

Muito bom o texto e bem atual tantos abandonados por seus "papais".

Abraço

Francilangela disse...

Nem sempre precisamos estar pertos para sermos presentes, mas muitas vezes somos ausentes estando do lado.

Por que você faz poema? disse...

Grandes canções,
para um belo texto.

lenalima disse...

lindo texto!
as vezes estamos presentes, mas é como se estivessemos ausentes!
abraços!!!

Arione Torres disse...

Olá, vim agradecer a Milena, Adriana Vargas e Francilangela, fiquei muito feliz em saber que fui uma das ganhadoras. Muito abrigada a todos e especialmente a você Milena, aqui fica o meu e-mail: arione.torres@hotmail.com
Que Deus abençoe a todos vocês. Tenham um ótimo final de semana, um abraço.

Simone MartinS2 disse...

Clarooooooooooooo que queroooooooooooooo, vou la no gmail postar, me espera, ADOREI o livro do Gustavo, ja leram tres pessoas e amaram, acharam intenso, demais...estamos ate postando frases dele no face...Agora esse, que legal...to amando participar...virei mais vezes da proxima vez...bjin e me espere...FUI!

Glaukitos disse...

Lindo texto!

Vitrine de Promoções disse...

LIndo demais ! Um sentimento único, sofrido, profundo!! Muito belo!

Irene Moreira disse...

LIndo e maravilhoso conto!!! Um amor único e que abraço forte e emocionante.!!
Bjs

LUCONI disse...

QUE TEXTO EMOCIONANTE, PARABÉNS AMEI O FINAL, SEMPRE MERECEMOS UMA NOVA CHANCE, SEMPRE, BEIJOS LUCONI

Milena Liebe disse...

Olá, Adriana!
Quero convidá-la, para visitar o blog da Milena Liebe (http://melissaliebe.blogspot.com, está com o nome da filha dela). Este blog é uma nova experiência e requer uma boa dose de imaginação e a colaboração de todos para que dê certo.
Abraços.
Denir P. M. Júnior

@philipsouza disse...

Soa como uma canção.....

bonito demais...

Philip Rangel
http://entrandonumafria.blogspot.com/

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...