segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Minha paixão por livros

 Amo ler e escrever. Quando criança lia todos os livros antes das aulas começarem. Nem esperava pela professora. Aliás, nunca esperei que me dissessem o que deveria fazer, fazia antes e daí, muitas vezes, me enrolava toda. O fato é que fiz muitas coisas bem cedo, bem cedo mesmo. Isto foi muito bom porque minha vida tomou um rumo diferente em determinado momento e, se já não tivesse feito muitas das coisas que fiz, talvez não tivesse mais chance.
Enfim, esta paixão pelos livros acabou com que eu escrevesse. E escrevi muito, sobre tudo. Nas viagens que fazia lá estava eu com uma agenda na mão, ou um caderno, uma caneta, ou um lápis, escrevendo. Até as algarobas lá de Quixeramobim não escaparam às minhas linhas.Mas, enfim, hoje resolvi desengavetar tudo e mostrar meus escritos. E então estou lançando os livros para apreciação do leitor. Vamos ver no que vai dar. Beijos!

Francilangela

Agora veremos o texto do professor de Literatura da UFCG/ Cajazeiras Carlos Gildemar Pontes, escritor e editor das Edições Acauã e da Revista Acauã.


REFLEXÕES SOBRE O LIVRO E SEU POVO
gilpoeta@yahoo.it

Acompanho as discussões do Fórum do Povo do Livro da Paraíba desde que nele me integrei. Às vezes, tenho a impressão que parece haver uma burocratização das ações do fórum, desacostumados que somos de andar sem as mãos do estado ou dos municípios. Temos objetivos comuns, mas motivações muito diferentes.
Os autores querem ser conhecidos e de quebra vender seus livros;
Os livreiros querem manter as livrarias, de preferência, vendendo os livros (material mais ordinário de se trabalhar);
Os editores querem editar mais autores, que querem ser mais conhecidos, para que os livreiros vendam suas obras e, por fim, os editores ganhem mais dinheiro;
O Estado e os município, estes, às vezes, têm boas intenções, procuram realizar eventos e organizar políticas, que esbarram na mais completa distensão com a realidade prática.
O povo não tem dinheiro para comprar livro; quando tem não compra porque não lê; quando lê não é levado a optar pela leitura porque simplesmente NÃO EXISTE interesse do poder que controla a indústria da imbecilização de oferecer alternativas ao povo que quer esse mundo menos imbecil. Conclusão simples: os gatos pingados da capital querem algo que está além de suas posses mais subjetivas. O problema está no sistema que se alimenta da estupidez do povo.
Como combater isto com fórunzinhos, eventozinhos, politicazinhas (ironia) e outras coisinhas insignificantes diante do poder estrondoso do capital da indústria cultural da estupidez?
É fácil promover evento e convidar os profissionais do livro, que na sua maioria têm que se desdobrar em outras profissões ou trabalhos extras para poder ter no livro algum tipo de prazer ou lucro ou os dois. Ninguém aqui é monge.
Alguém desse fórum já imaginou como devem ser estes problemas no interior do estado? Quem conhece a realidade de Patos, Pombal, Sousa e Cajazeiras, cidades que estão na linha da BR que liga o litoral ao extremo oeste do estado?
Quantas vezes eu ou os outros agentes dessas localidades (que não sejam ligados aos municípios, porque estes são paus mandados) foram consultados, digo consultados e convidados, para decidir em nome da categoria de “povo do livro do interior” as ações voltadas para todos? Somos quantos, afinal? Nós, aqui no sertão, temos problemas mais insolúveis, porque aqui temos os políticos mais atrasados do país, que por acaso são estas cavalgaduras que alimentam a indústria da estupidez. Na maioria são tão burros para a cultura geral e sapientíssimos para as falcatruas políticas. A lei nas cidades sertanejas é a do toma-lá-dá-cá. Se for adversário vai para o ostracismo, se for aliado ajuda a manter esta “excrescência quo” da nulidade cidadã.
Falar em LIVRO, LEITURA, LITERATURA, ARTE, de uma maneira geral, é falar de logarítimo e palíndromo para uma geração viciada em favores e facilidades que geram legiões de imbecis de toda ordem. Estes se alimentam do lixo cultural que os políticos dão em doses generosas nas festividades municipais, onde deveríamos estar refinando culturalmente o espírito, cultuando as raízes identitárias do povo e educando-lhes para que, no presente e no futuro próximos, possamos salvar esse mundo das misérias.
Caso essa realidade não mude vamos ter medo ou vergonha de falar em arte e leitura. Vamos nos obrigar a ficar em guetos com um punhado de desencantados. Isso se o tédio não matar um bocado de nós. Estamos nas vésperas do caos, e aí, dá para ficar esperando ele chegar? Ou dá para tomarmos atitudes radicais de combate à miséria da estupidez, que gera quase todas as outras misérias?

Carlos Gildemar Pontes
Escritor e editor das Edições Acauã e da Revista Acauã. Professor de Literatura da UFCG/ Cajazeiras.



Texto e criação do autor, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

SORTEIO DO CLUBE DOS NOVOS AUTORES
SETEMBRO



16 LIVROS
VOTE NA ENQUETE
E
COMENTE!



PREFÁCIO

Caros leitores,
Caneta na mão, versos no coração...
Sublime passagem deu-se os meus olhos ao ler tanto encantamento...
Agradeço, não apenas imensamente ao convite longínquo de Francilangela ao convidar-me a este passeio por sua ode tão bem escrita e articulada, sobretudo, emocionante foi a caminhada por dentro de este ser, que não apenas, mulher, mãe, fiel ao Criador; membro efetiva e solícita aos conflitos sociais com o amparo de suas letras... Dei-me de frente a mim, em tantas paisagens paradisíacas rabiscadas de modo simples e de encantamento lúdico.
Francilangela, poeta por natureza, diagnosticou assim, meu conceito tão vão, se comparado a grandeza que aqui encontro, postando-me aos pés da literatura, beijando-os como se cultuasse a presença viva de fragmentos salutares... Em cada palavra, o alimento... Ah, a poesia que me encanta a ponto de transpor-me para dentro de si, e torna-me a ela, um só ser... Assim vejo “Fran”, como gosto de chamá-la, misturando-se de modo homogêneo ao que escreve tão claramente, tornando-se impossível saber quem é Francilangela, e quem é a poesia.
Muito tenho lido; tão pouco encontrado como em “Caneta na mão, versos no coração...”, na poesia, “Sou o que sou, e nada mais”, cito página 52, chorei em silêncio; apenas sentindo a poetisa narrar sobre mim, bem como muitos, ao ler, irão se identificar com as palavras, uma a uma tão bem lapidada com pétalas suaves caindo ao chão; sentindo, e até ouvindo os seus movimentos, quando penso que era ao chão que caiam, engano-me brutalmente, Francilangela, arquitetou nesta poesia, que tais pétalas pousassem em meu âmago, e lá fizessem morada... Tive o desejo de roubar a letra, e dizer – “é minha; é minha; foi feita para mim”... “Tamanha o egoísmo de uma fã que a poesia de Francilangela, roubou assim, o coração”...
Mais adiante, em minha viagem transliteraria, tropecei em “Fuga”, página abençoada de número 53; desta vez, chorei, não em silêncio, mas querendo gritar, pois a poetisa decodificou meu ser, tal qual se faz com a surpresa de um doce que se prova pela primeira vez... Estava lá, eu no espelho criado por uma inspiração que sentinela... Senti os de Francilangela observando, não as pessoas, e sim, os sentimentos que elas trazem em si. O resultado, só conhecerá aquele que se der a oportunidade em abrir este dossiê com tal zelo como faz o amado ao tocar a sua amada, beijando-a suavemente debaixo da chuva em “Era tão bom amar-te”, cito página 85; o consolo na lembrança, na distância, que não separa sol e lua, entretanto, cura as dores, que as “Lágrimas”, página 44, não se esforçam ao cair, no eu interior de um poeta, que não cresceu, apenas aprendeu a criar os seus filhos e se apaixonar pela vida, e por tudo que nela existe – eis o retrato que consegui pintar da beleza rara deste dossiê que tem por nome” Caneta na mão, versos no coração”.
Assim termino este convite em prefaciar, sentindo o lapso poético dos sentimentos que dilaceram as palavras, fazendo-me sentir tal quanto as bailarinas descalças dançando no coração da poesia, entoando entre a melodia de cada verso aqui encontrado, o ser vivo existente na benção que é ser poeta.
Encantando,
Francilangela, a poetisa de um berço necessário.
Adriana Vargas de Aguiar.
Escritora, poetisa, advogada e coordenadora do blog “O clube dos novos autores”.

veja este livro à venda no site do Clube dos Autores:



Francilangela Clarindo

Publit
http://www.publit.com.br/store/author_info.php?author_id=847


O mar à janela
Uma criança, o mar e o sonho de conhecê-lo. Nada se concretiza. Só temos uma certeza na vida: a morte.


Poesia é... Sonhar, amar, lutar, viver! Poemar: A arte de ser feliz quer apresentar textos que façam sentir estes toques que o poema nos faz reviver a cada leitura. Posia e amor são fundamentais para a felicidade e ter os dois é sinônimo de ser feliz.
http://www.publit.com.br/store/product_info.php?products_id=1160

Sim, você ama
Junto com a aquisição da leitura e escrita veio o amor à prática de ambos. Leio e escrevo desde a mais tenra idade. Amo cada letra, palavra, frase, oração, período, texto, livro que leio, escrevo, existe. Meus textos passeiam pelas páginas deste livro.
http://www.publit.com.br/store/product_info.php?products_id=1170

Clube de Autores

http://www.clubedeautores.com.br/authors/42334

Caneta na mão, versos no coração
"Caneta na mão, versos no coração" reúne diversos poemas sobre temas variados de muitas fases de minha vida. Textos inocentes de minha infância e calorosos da juventude. Amor, saúde, política, religião e família se misturam neste livro e mostram como somos diferentes sendo a mesma pessoa.
http://www.clubedeautores.com.br/book/72964--Caneta_na_mao_versos_no_coracao


Reflexões: Meu jeito de ver o mundo
O mundo tem um número considerável de habitantes, aproximadamente sete bilhões de pessoas. Cada uma com seu jeito de ser, de falar, de brincar. Com uma vida, amigos, lar, família, trabalho, problemas, religião...
Enfim, somos sete bilhões de pessoas.
E eu, uma delas que, neste livro, exponho o que penso sobre alguns temas.
São as minhas reflexões, o meu jeito de ver o mundo.
http://www.clubedeautores.com.br/book/78907--Reflexoes



29 comentários:

Sotnas disse...

Olá Francilangela, que tudo permaneça bem contigo!

Palavras deveras contundentes, somente aos ouvidos dos hipócritas. Bela postagem deste texto desabafo por esta insana e quieta imbecilidade a que nos deixamos envolver!

Um fato que me entristece por demais é ver alguns bons e ótimos escritores sempre se prestarem de pedestal para alguns poderosos editores, sendo que do mesmo modo que precisamos deles eles precisam de nós para angariar o famigerado lucro que tanto importa a estes!

Parabéns pela postagem, e pelo espaço tão divulgador!

E deveras grato por tua amizade e visitas eu deixo meu desejo que você e todos ao seu redor tenham um intenso e feliz viver, enorme abraço e até mais!

Enigma disse...

Olá Francilangela,

O seu texto é subtil, excelente. Depois vou a procura da sinopse do seu livro, fiquei curiosa. Deixo um forte abraço. Sucesso!!

Camila Costa disse...

Adorei muito o texto; está excelente!
gostei muito mesmo!

Marli Carmen disse...

Gostei do que vc escreveu..me fez refletir...amor ler e escrever heheheheeh

Donnefar Skedar disse...

Fran sua postagem esta maravilhosa, muito boa mesmo.

Celso Andrade disse...

Obrigado pela visita, legal seu espaço.

beiijo grande

J. A. Nobel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
J. A. Nobel disse...

Também sou uma escritora novata e adorei toda a ideia do blog! Parabéns.
Visite o blog do meu livro: http://dpmeianoite.blogspot.com

Eneida Freire disse...

Excelente texto e muito verdadeiro!
É a nossa realidade.
Infelizmente.
Gostei muito daqui, vim retribuir a visita e já estou seguindo!
Abraço!
http://tengacreencia.blogspot.com

Evanir disse...

Como tenho acompanhado bem de perto esse trabalho maravilhoso.
Tenho que agradecer muito com todo carinho que venho recebendo .
Ontem tive a visita de um dos escritoras fiquei muito feliz.
Hoje ao visitar um blog li com tristeza a postagem
de um blogueiro.
Com livro pronto sem ter como fazer a menor propaganda infelizmente é de Portugal não saberia o que fazer por ele aqui no Brasil.
Na verdade se tivesse posses batalhava de alguma forma para colocar no mercado o livro dele que pelo blog já da para se ter uma ideia do escritor.
Um beijo no coração.
Linda e abençoada semana.
Beijos.
Evanir

Leninha disse...

Querida amiga Fran,fui como você,quando recebia os livros do colégio,lia até o final,principalmente os de português,fazia os exer
cícios antes de todos e levava broncas homéricas por este motivo.Lia tudo que visse pela frente,jornal,revistas,livros e até os jornais que minha mãe colocava no chão,para protegê-lo quando encerava a casa.
Como vê,temos muitas coisas em comum.Creio que foi por isso que gostei tanto daqui.Voltarei sempre,tá?
Bjsssss e muito carinho,
Leninha

Eneida Freire disse...

Ah, já votei, em 'Espelhos'
Abraço!
http://tengacreencia.blogspot.com

attitudefeminina disse...

Livros, Livros.. Muito bom

Beijos

Claudio R. Rangel disse...

Temos ou não pode para mudar esta situação? A cada dia vemos a política destruindo o ensino e promovendo as fábricas de imbecis.

Aclim disse...

Estamos nas vésperas do caos...

Verdade, mas falcatruas fazem todos, letrados ou não as vezes qto mais letrado pior.

você é muito sábia adorei

Abraços

Rapha disse...

Olá :)

Nossa esse Carlos G. Pontes é fera, hein? Que texto!!
O pior é que é a triste realidade do Brasil. É raro quem se interesse por leitura, arte, essas coisas classificadas por mtos da classe baixa como coisas de rico ou para rico.. Temos que mudar essa mentalidade, mas, ao meu ver, o unico caminho é através de educação, que lamentávelmente está deplorável ;/

Beijos
Rapha - Doce Encanto
http://rapha-doceencanto.blogspot.com/

Evanir disse...

Cada dia uma surpresa motivo de marcar minha presença todos os dias.
Gostaria muito que o povo brasileiro perdesse menos tempo com coisas muitas vezes banais .
E praticasse o abito da leitura.
Uma linda terça beijos.
Evanir

@ Moda e Eu. disse...

VOTADINHO

Evanir disse...

VIAJAR PELO MUNDO
E TIRAR DESSAS AVENTURAS LIÇÕES
QUE AMPLIAM SUA VISÃO DE FELICIDADE.
OU FAZER UMA VIAGEM DENTRO DE VOCÊ MESMO
VERÁ QUANTO VOCÊ PODE SER FELIZ
COM O AMOR QUE EXISTE DENTRO DE VOCÊ.
E SER FELIZ FAZENDO FELIZ A TODOS AO SEU REDOR.
UMA ABENÇOADA TERÇA FEIRA
PAZ AMOR E LUZ.
BEIJOS O CORAÇÃO.
EVANIR

enigmacostt disse...

Olá Francilangela,

A paz do Senhor, amada. O seu talento tem um teor imensurável. Que Deus a abençoe sempre. Obrigada pela visita. Kiss!! Kiss!!

http://umblogsemfrescura.blogspot.com

Enigma.

Marli Carmen disse...

ah meu livro não está na enquete...mas tudo bem..está na lista dos que serão sorteados!! Amazônia um caminho para o sonho!!!!
Vamos lá gente! Vamos participar!! heheheheeh

Elisandra disse...

Bem eu também amo ler, mas só me apaixonei pela leitura aos 15 anos quando li um romance. Daí por diante tenhos lido muitos livros de vários gêneros.
Sobre o texto do Carlos, tenho de lhe ser sincera ele falou bem e fez um grande desabafo. O País devia investir mais em cultura, pois muitas pessoas não usufruem porque não gostam de ler, mas e a parcela que gosta, e as pocentagens de vendas maiores esse ano na área da literatura. Dizem que o brasileiro está lendo mais, mas cade as bienais nas outras capitais, cade o custo menor para incentivar a leitura, se não é as próprias editoras e autores promoverem seus livros eles não alcançariam o público. Deviam existir um programa de 2 horas somente sobre literatura nos canais como rede globo e sbt, aposto que teria um ótimo ibope e mais conhecimento e vendas, produção de eventos bimestrais nas capitais e cidades populosas e as menos populosas também. Tá vou parar por aqui, porque já falei demais. Mas realmente adorei o post.

Beijokas elis!!!
http://amagiareal.blogspot.com/

Valery disse...

Oi Francilangela adorei conhecer seu blog, obrigado pela oportunidade de conhecer o trabalho maravilhoso dos nossos escritores. Seu texto é maravilhoso.
Bjus
Claudia
Brilho das Estrelas.

Vitrine de Promoções disse...

Aqui estamos seguindo este blog repleto de Novos Autores com suas obras que temos certeza são de prender o fiel leitor.

Já deixamos nosso voto na enquete
Além de seguir estamos divulgando e temos certeza que o Siga e Concorra já é um grande sucesso.

Bejinhos
Irene Moreira / Vivian Pereira
Equipe da Vitrine de Promoções
http://vitrinedepromocoes.blogspot.com

Irene Moreira disse...

Aqui estou seguindo e participando desta promoção " Siga e Concorra". Estou me deliciando com tanta resenha maravilhosa. Vou agora votar na enquete e depois voltarei mais vezes para acompanhar estas obras dos talentosos novos autores.

Beijos
Blog Mamyrene

silvioafonso disse...

.


Há muito eu sigo o seu blog, mas você
não segue o meu...

silvioafonso





.

Cléo disse...

VOTEI!
QUERO SABER MAIS SOBRE OS DEUSES!!!!!!!!!

Maria Alice disse...

Os portugueses podem postar seus livros na Bubok, que publica por demanda e atende vários países, inclusive o Brasil.
Adriana, este blog está cada dia mais bonito. Onde você arranja tempo pra se dedicar tanto a nós? Parabéns! Obrigada! Bjs.

Geine.Laryssah disse...

Já estou seguindo e participando da promoção. Torcendo muito para ganhar pq adoro ler livros, me envolvo completamente com as histórias e adoraria ganhar.

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...