quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Parceria com a MODO Editora


Acesse Aqui

Olá, é com enorme prazer que apresento a vocês, nossa mais nova parceria - MODO Editora, que vem realizando os sonhos de muitos autores nacionais, pois visa a ascensão da literatura brasileira.

E para comemorarmos esta parceria, trago ao CNA, o autor MARCELO PASCHOALIN, autor MODO e o mais novo membro do Clube:




ENTREVISTA

Foto do perfil


·        Como iniciou a sua carreira com a Literatura?

Tudo começou com muita leitura, principalmente por incentivo de meus pais. Foi ainda criança que tive contato com Jules Verne e Sir Arthur Conan Doyle, até mesmo antes de conhecer Pedro Bandeira – que abriu meu caminho para a literatura nacional, dos clássicos aos contemporâneos.
Sempre tive no gênero fantástico meu reduto, mesmo no primeiro “livro” que escrevi aos 13 anos de idade – que tive a audácia de enviar para uma editora, achando que estava bom o bastante, mesmo me apegando apenas ao sonho. – Meu primeiro lançamento real se deu quando tinha 16 anos com um romance de fantasia autopublicado que serviria de base para todos os meus escritos futuros.
Porém, minha primeira publicação comercial se deu cinco anos depois, com um livro de RPG (roleplaying game). Naquele momento eu deixei o círculo de amigos e conhecidos para ganhar as estantes de livrarias pelo país.

·        Existiu a influência de alguma personalidade artística em sua escrita, ou se fez por si?

Influência sempre há, embora na maior parte das vezes seja indireta e inconsciente. Eu não poderia apontar alguma personalidade específica, mas tenho certeza de que tudo o que li até hoje me fez ser um escritor melhor.

·        Existiu algum fato envolto na área literária que marcou sua carreira? Conte sua experiência.

Um momento que guardo com muito carinho foi quando um leitor, comparecendo a um de meus lançamentos, disse-me que era fã dos meus escritos e me disse que leria todos os livros que eu lançasse. É algo que eu nunca vou esquecer.

·        Qual o tema que você gostaria de escrever e ainda não ousou?

Há dois gêneros literários: Fantasia Urbana e Romance Histórico. Tenho até algo planejado e rascunhado, mas vou deixar para escrevê-los depois que saciar meus leitores com a saga que se passa no Mundo de Andora, universo fantástico de Regência de Ossos e dos meus outros romances.

·        Quem são seus grandes ídolos escritores?

Verne, Doyle, Dumas, Stewart, Tolkien. Cada qual à sua maneira soube me encantar ao contar suas histórias.

·        Como é seu relacionamento com suas personagens?

Eu discuto com eles. Em geral, eles saltam do papel e reclamam comigo quando eu os conduzo a fazer algo que não querem, apontando o que tem de ser mudado. Mas, no fim, chegamos a um acordo e toda a história toma forma.

·        Como é seu relacionamento como autor, com o mundo longe da escrivaninha?

Tenho especial predileção pelas pequenas coisas, as pequenas dádivas que recebemos. Um dia de sol, caminhar na chuva, ler à sombra de uma árvore, caminhar descalço na areia, ver o brilho nos olhos da minha esposa... Tudo isso me encanta e me faz ver o muito que plantamos e colhemos em nossa vida, lembrando-me sempre de cuidar de cada semente.

·        Qual a linha literária que hoje escreve e como se relaciona com essa linha?

Escrevo literatura fantástica, um gênero que sempre amei ler. Transcender a realidade e deixar a imaginação impor regras a mundos que não existem é uma forma de criação ímpar. Admiro as terras além de nossos olhos e o tempo que não se limita ao nosso, onde magia e simbolismo se unem como se nunca devessem ter deixado de existir em nossas histórias.

·        De onde, em sua opinião, vem o maior apoio e incentivo aos autores nacionais?

Acredito que a disposição de editoras compromissadas com a literatura, como a Modo, ao analisar os originais e resolverem publicar o que há de qualidade é o melhor meio de nossas histórias chegarem aos leitores. Apoiar a literatura nacional é encontrar as pérolas e mostrá-las a quem as busca – um livro que não é conhecido do leitor é algo que nunca foi escrito.

·        Como é seu relacionamento com seu público leitor?

Adoro conversar com meus leitores, trocando ideias, discutindo os rumos pós-narrativa, descobrindo o que os símbolos do texto fizeram com que pensassem. É muito bom saber que o livro continua com eles mesmo depois que foi fechado, e isso me completa como autor.

·        Sob seu ponto de vista, o que atrai mais o leitor para a leitura de um livro?

A visão é o sentido que nos guia diariamente, então não é de se espantar que a capa seja o principal meio do leitor chegar ao livro. Depois disso é a sinopse (normalmente na quarta capa do exemplar). Já na internet, acho que a sinopse seja o meio principal (estamos acostumados a buscar informações na rede), com a capa como secundário.

·        De onde vem sua inspiração? Tem algum costume ou ritual antes iniciar a escrita de um novo livro?

A inspiração está em todo lugar. É uma cena de um filme, um olhar de relance pela paisagem, é uma notícia que lemos... Tudo é fonte de ideias, e elas formam a base de qualquer escrito.
Meu único ritual antes de começar a escrever um livro é fazer uma diagramação prévia das páginas para que eu tenha a impressão real de estar dando vida ao livro e depois exportar o arquivo para meu smartphone. Sempre escrevi em smartphones, pois adoro a liberdade que proporcionam – é algo que só se percebe quando se está sob a sombra de uma árvore vendo os pássaros voando e tendo a oportunidade de capturar o momento em sua escrita.

·        Qual livro mais gostou de ler? Como foi a experiência?

Deixe-me contar uma história. Quando eu era pequeno, assistia diversos desenhos ao voltar da escola, sobretudo os que passavam na extinta TV Manchete. Um dos que mais gostava era "A volta ao mundo em 80 dias", que passava logo após "Os três mosqueteiros".
Quando houve uma Feira do Livro (que eu acreditava ser a Bienal) aqui em Santo André-SP, meu pai me levou. Eu queria muito que ele comprasse para mim "A volta ao mundo em 80 dias". Ele o fez, contudo, sob uma condição.
Meu pai me pediu que eu lesse um dos livros que havia marcado a juventude dele antes. Assenti, e ele comprou "Vinte mil léguas submarinas" e "A volta ao mundo em 80 dias".
Foi com "Vinte mil léguas submarinas" que aprendi a usar o dicionário (eu queria saber o que era uma légua, quão rápido era um nó e outras coisas). Foi o livro que abriu as portas da literatura para mim (comecei uma coleção de Julio Verne por causa disso).
"Vinte mil léguas submarinas" é o livro de que mais gosto? Não.
É o livro que mais marcou minha vida? Com absoluta certeza.

·        De qual modo, sob seu ponto de vista, poderia se dar a ascensão literária no Brasil?

Divulgação. Se um leitor não sabe que o livro existe, é como se ele jamais tivesse sido escrito... Então, o que precisamos é mostrar aos nossos leitores que temos livros, que nossa literatura tem valor, que não é necessário recorrer somente à literatura estrangeira. Quando houver divulgação, quando o leitor puder chegar ao livro, teremos a ascensão literária.

·        Como é  visto por você, a linha do tempo literária brasileira? O que mudou?

Falo como leitor nesta hora, não como crítico. A linha do tempo se divide em “o que temos de ler de maneira obrigatória na escola”, “o que temos de ler para prestar vestibular”, e “o que lemos por prazer.”
Alguns já vivem a leitura prazerosa de maneira concomitante com as obrigatórias (tenho a felicidade de me incluir nesse grupo), mas outros, depois de duas “fases obrigatórias”, acabam por não encontrar prazer na leitura.
Não, não é esta a linha do tempo literária brasileira. Mas é, acredito, a linha do tempo literária de cada brasileiro.

·        Qual o melhor meio de divulgação da obra?

O autor é o melhor meio de divulgação. Se eu pudesse, estaria presente em todas as feiras literárias do país e visitaria todas as livrarias onde meus livros estivessem expostos.

·        Como é visto o mercado literário sob sua ótica?

O mercado literário é uma fera indomada. E sabe qual? Uma quimera. Mostrando mais de uma face ao mesmo tempo, fazendo com que pensemos que o conhecemos para só então mudar sua aparência e, com isso, as regras não-escritas de um jogo.

·        Qual é a sua opinião sobre o elevado nível de reprovação de originais?

Acho completamente natural. O candidato a autor tem de saber que as editoras têm crivos pelos quais o texto tem de passar para que a obra final seja realmente apreciada pelo público leitor. Isso tem de ser encarado como um incentivo a uma produção literária melhor no futuro, pois somente quando praticamos podemos aumentar nossas habilidades.
Contar histórias é algo que pode ser desenvolvido. Escrever corretamente também. É preciso dominar essas duas habilidades para começar a esboçar um livro. E, sim, começar, pois um livro precisa passar por uma longa jornada até estar pronto.
Quer se aventurar nessa jornada? Aprenda seu ofício, desenvolva suas habilidades, e acredite na sua história.

·        Fale um pouco do seu último livro.

“Regência de Ossos” se passa no mesmo universo fantástico dos livros “A última Dama do Fogo” e “Eriana: Filha da Morte e Vida”, e conta a história de um reino ameaçado pela presença de uma cidade de mortos-vivos, cujas legiões devastam o campo, e dos esforços de uma jovem que luta para que o povo seja ouvido. É uma história de mudança – que só vem com a aceitação – e de transformação – que só ocorre quando se acredita. Quando os mortos-vivos se erguem, podemos ser fortes o bastante para enfrentá-los ou sucumbiremos em nossa busca pelo que desejamos?

·        Deixe um recado para seu público leitor.

Em primeiro lugar, muito obrigado por me permitir falar um pouco sobre mim e sobre meus livros. Um espaço como este é maravilhoso para que o autor possa iniciar um diálogo com seus leitores e, aqueles que quiserem conhecer meu trabalho, poderão acessar http://www.letraimpressa.com.br além de conversar comigo pelo twitter @letraimpressa. Fico muito feliz em poder discutir com os leitores dos meus livros, pois sempre há uma troca de ideias fantástica – afinal, a história deixou de ser minha quando o texto foi lido por outro.



Nova obra - Regência de Ossos


Capa de Marcelo Paschoalin
Ilustração de Teddy Soegiarto

SINOPSE - O autor de A última Dama do Fogo nos traz mais uma fantástica aventura! Houve um tempo em que a Necrópole de Amtal se restringia a atacar os que ousavam se afastar demais... Houve um tempo em que o povo de Dunir podia confiar na proteção da Guarda Real e na justiça de sua rainha... Esse tempo passou. No céu, apenas nuvens negras. Poderá uma jovem erguer sua voz e clamar em nome de seu povo ou o sangue dos vivos servirá apenas para saciar a sede daqueles que retornaram do reino dos mortos? Para mudar, é preciso aceitar. Para verdadeiramente ser, é preciso acreditar.


Texto e criação do autor, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

31 comentários:

Márcia Paiva. disse...

Parabéns pela vitória! Li a sinopse do livro e já deu vontade de adquirir um exemplar, adorei a capa. Tenho de ter 7 vidas para ler tudo o que quero e garanto que a Literatura Nacional é em peso. Parabéns que você tenha um grande sucesso. Beijos.

Ocelo Moreira disse...

Seja muito bem vindo ao CNA Marcelo.
E desde já meus parabéns pela sua mais nova obra.
Eu lhe desejo boa sorte e muito sucesso com o livro.
Grande abraço e até mais.
Ocelo Moreira

Caçadora de Livros disse...

Sendo o Marcelo já fico quase que maravilhada, pois é só analisar os livretos dele, para saber a sua bela escrita.
bjs

Sora Seishin disse...

Olá!
Parabéns pela nova parceria e pelo novo autor!

Sora - Meu Jardim de Livros

Beatriz Gosmin disse...

(:

Adorei a entrevista, o livro parece ser muito legal!
A capa é ótima também...

Beijos!
Sucesso sempre! <3

Rubens Conedera disse...

Boas vindas ao autor MARCELO PASCHOALIN, novo parceiro de luta do Clube dos Novos Autores, e autor MODO. Mais um autor de conteúdo com bagagem literária, e grandes obras. Parabéns ao Marcelo e ao Clube!!!

Marcelo Lima disse...

Eu vi que o livro dele é um dos mais queridos da MODO e espero um dia ler, adorei a entrevista,muito simpatico o meu chará.

Luciana Apaixonada por Romances disse...

Boa Tarde!

Sucesso com nova parcera "MODO Editora" e parabéns pela entrevista.

Um abraço e até a próxima visita ^^
http://www.apaixonadaporromances.com.br/

Luana Melo disse...

Parabéns ao CNA pela parceria!
Que renda muitos frutos!
A entrevista foi ótima! Adorei!
Beijos*

Liachristo disse...

Olá, parabéns pelos novos parceiros.
Abraços e sucesso!
Lia Christo
www.docesletras.com.br

Blog Só Sobre Livros disse...

Parabéns pelas parcerias, sucesso a todos.
beijos, gabi.
http://so-sobrelivros.blogspot.com

Lara E. disse...

Adorei a entrevista!
Parabéns ao CNA pela pareceria ne?!
Sucesso, tudo de melhor!
Gostei muito da sinopse do livro também! Parece ser super interessante!
Beijos,
Lara E.
http://naspaginasdeumlivro.blogspot.com/

Mar disse...

Parabéns pela nova parceria *0*

Elisandra disse...

Parabéns pelo novo parceiro.Adorei a entrevista. Gostei de conhecer um pouco mais do Marcelo....e sua visões sobre a literatura e como ela o influenciou. Adri as perguntas estão perfeitas. Beijokas ELis!!!!

http://amagiareal.blogspot.com/

Marcelo Paschoalin disse...

É muito bom ver todos esses comentários. Se tiverem quaisquer perguntas, basta perguntar.

http://letraimpressa.com.br/

Jardim das poesias infantis/Magia em versos disse...

Parabéns pela materialização de sonhos e por ser um exemplo a todos que estão trilhando esse caminho da arte literária.
Parcerias são sempre muito bem-vindas.
Muito sucesso e prosperidade em seu caminho.
Uma entrevista leve e gostosa de se ler.
abração

Mia disse...

Parabéns por mais essa parceria.
O clube cresce cada vez mais.
Sucesso sempre!!!

P da LAP disse...

Parabéns ao novo autor! E que venham mais para a literatura brasileira!
Até mais!

Valdir O. Ferreira disse...

É isso aí Marcelo! Gostei de sua entrevista, simples e clara como deve ser. Também sou um autor em busca de meu sonho. O meu livro Apanhando Amoras está entre os selecionados pela Modo editora para ser lançado em breve.
Parabéns pelos seus livros.
Valdir O. Ferreira

Fernanda Souza disse...

No Brasil não é fácil ser autor, fico contente em ver autores com o pé no chão como você que sabe que quando sujeita seu trabalho para ser aprovado, sabe que tudo é possível.
Parabéns.
Beijos
Leitora Incomum

Hellen Pimentel. disse...

Me apaixonei! Meus parabéns. Espero crescer como escritora tanto quanto você.
Parabéns mais uma vez.

Vitrine de Promoções disse...

Olá Marcelo

Adoramos saber sobre você e principalmente de que como surgem seus filhos, - suas obras. Lendo a sinopse do seu livro já chamou atenção e em cócegas para degustar sua leitura.

Parabéns e desejamos muito sucesso com essa nova parceria.

J.C.Hesse disse...

Muito boa a entrevista!

Abraços e sucesso!!
J.C.Hesse

Ahtange disse...

Olá é sempre muito bom conhecer o que pensa um autor que já tem uma história. Obrigada por compartilhar um pouco de sua experiência.
Parabéns pelo livro,capa e sinopse maravilhosos.

renansouzamerces disse...

Nesse caminho que muitos sonham em seguir, em ter seus livros publicados, sabemos como pode ser difícil realizar-se plenamente. O clube faz um belíssimo trabalho no incentivo à literatura nacional. Desejo meus mais sinceros votos de felicidade e crescimento a cada dia desse lugar tão acolhedor. Parabéns e que o caminho brilhe para todos.

Gabrielle Venâncio Ruas disse...

Muito legal Marcelo, parabéns! Mal posso esperar para ler seu trabalho!! Grande abraço!

@ Moda e Eu. disse...

Oi Marcelo, bem vindo *-*
Blanc.
modaeeu.blogspot.com

Graziella Mafraly disse...

Primeiramente, gostaria de parabenizar ao CNA pela parceria.
Adorei a entrevista com o autor Marcelo Paschoalin, divertida e inspiradora.
Sempre gostei de literatura fantástica e lendo a sinopse de Regência de Ossos dá para perceber que o Marcelo não brinca em serviço.
Um grande abraço a todos.

Fabiana Cardoso disse...

Parabéns Marcelo!
Adorei a sinopse do seu livro e a entrevista principamente quando contou sobre o seu processo de criação, tenho certeza que vai fazer muito sucesso!
Abraços Fabiana Cardoso

territoriodascompradorasdelivro disse...

Parabéns pela parceria, adorei ver muitos autores entrando nessa nova Editora. Nossos autores merecem muito.
Território das garotas
@territoriodg
Bjss *-*
http://territoriodascompradorasdelivro.blogspot.com/

Cesar S. Farias disse...

Achei bem interessante a simbologia que envolve os personagens do livro. É a ficção próxima da realidade. Bem vindo, Marcelo.

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...