segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Destino




De METAMORFOSE

No turbilhão da vida 
Tento encontrar meu próprio eixo
Tantos rostos escondidos
Tantas máscaras partidas

Vítimas da insanidade
Desfilam faixas aleatórias
Qual será o destino da humanidade, afinal?
Qual será o meu destino?

Jogo palavras ao vento
Ou elas chegam em algum lugar?
Minhas memórias hoje imprecisas
Me lembram de um tempo de sonho vivido

Terei eu alcançado o que de fato foi para mim traçado?
Ou estarei ainda bem longe do destino almejado?
Destino esse imprevisível, imutável, implacável
Destino esse tramado pelos Deuses que fazem real a minha jornada.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

3 comentários:

J.C.Hesse disse...

Lindo texto! Sei de onde sai algo assim, de dentro, do fundo de um amor incontido, que busca maneiras de explodir. Enquanto não explode, vai escorrendo pelo canto dos lábios, pela ponta da caneta e das teclas de um computador, para ganhar o mundo.
Abraço, J.C.Hesse

Anna Leão disse...

Ô meu colega, que lindas palavras! Muito obrigada!
Um beijo e um Feliz Natal!
Anna

Anna Leão disse...

Ô meu colega, que lindas palavras! Muito obrigada!
Um beijo e um Feliz Natal!
Anna

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...