quinta-feira, 10 de novembro de 2011

O BARCO DE CADA UM DE NÓS

Paper ship


Abri os meus olhos e me deparo diante do inusitado: o lago infestado por centenas de barcos de papel. Cada vela dos barcos de papel, estava escrito uma palavra diferente, uma da outra, como AMOR, SONHO, ALEGRIA, ESPERANÇA, e por aí vai... Que navegam silenciosamente de maneira majestosa e encantadora, em várias direções diferentes.


Como fui parar aqui, eu não sei.

É um sonho?

Eu morri?

É real?

Não sei!

Mas posso dizer que o lugar é...
Lindo!

Pude examinar que o lago ficava no meio do vale verdejante e o céu em cor de azul anil vivo, sem nuvens. Parecia um tanto surreal.

Os barcos de papéis, caso não tenha dito, tem seus tamanhos naturais, capazes de abrigar pessoas de qualquer tamanhos, criança, jovens e até mesmo adulto, gordos, magros, altos, baixinhos, nada disso importa, eles sempre abrigarão as pessoas em busca dos seus refúgios de acordo com as palavras.

Vejo algumas pessoas cá, lá e acolá. Uma pessoa deitada no barco com a palavra escrita ALÍVIO.

Vejo uma mulher magrela com um sorriso estampado no barco com a palavra OTIMISMO.

Vejo um velho com olhos fechados, com a cabeça erguida para o céu, em seu barco a palavra RECONCILIAÇÃO.

Vejo uma criança que acena para mim, em seu barco - CARINHO.

Vejo cada pessoa em seu barco, a meu entender, escolheu aquele barco para pode obter aquilo que desejava, e preencher a falta do seu eu interior vazio. Há alguns barcos vazios com suas palavras e uma deles me senti impelido a ir lá e alcançá-lo. O barco veio até a margem do lago, me esperando. Parece que aquele barco sabia o que eu tanto precisava.

Confesso sinceramente que há muito tempo não ousava chegar perto daquilo que eu julguei impossível e incapaz de acontecer. Há muito tempo que vinha sofrendo e me agoniava, mas chegou a hora de parar de sofrer e esticar os braços para abraçar o que tanto preciso para encher o meu coração e mente.

O barco me espera, me espera...

Eu não recuei, ao contrário disso, eu me aproximei dele, entrei, e então, o barco se afastou da margem do lago e me levou por entre os barcos de papéis. As pessoas me acenando, sorriam e eu retribuía o sorriso.

Sinto que a força que tanto me faltava, está agora, tomado conta de mim, tudo graças ao meu barco da FÉ.


Texto e criação do autor Denis Lenzi, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

12 comentários:

Simony disse...

Que legal,sejam bem vindos.Bjs

Evanir disse...

Denis ,
Seu texto é muito lindo creia me sinto num barco de papel prestes a afundar.
Nunca me senti num grande Navio forte pronto
para uma viagem por mais curta que seja .
Cada um de nós muitas vezes nos sentimos fortes por por vezes fraco prestes a um naufragio.
Denis ,se me permitir gostaria de postar no meu blog.
Um Dia abençoado a todos do Clube grande beijo no seu coração.
E a nossa querida Adriana.
Evanir

J.C.Hesse disse...

Sem palavras, aliás, me atrevo a somente uma. Ela é simples, mas resume o que pude entender no texto do Denis.

Lindo!

Valeu camarada.

@ Moda e Eu. disse...

Oii, tudo bom?
que lindo o texto, beijinhos
blanc

Denis Lenzi disse...

Obrigado pelo comentários, pessoal! Evanir, pode usar meu texto para seu blog, sim! Abraços! :-)

lucass repetto disse...

Este Denis viu!

Seus manuscritos são maravilhosos.

A fragmentação da necessidade sentimental de todos é maravilhosa, vamos pelas veredas da vida nestes barcos que hora são simples hora são complexos.

Mas de fato a um barco supremo, aquele que é anterior à existência; e este fica ninguém sabe aonde.

Parabéns Deniz!

Marli Carmen disse...

Que texto lindo, nos faz refletir. Eu adorei! Parabéns!

Alinne disse...

Que texto lindo...Adorei! Belíssimas palavras que nos fazem refletir.
Beijos.

Books e Desenhos

renansouzamerces disse...

Achei genial o texto. Expressa muito bem o poder que uma única palavra pode ter sobre nós.

Parabéns Denis,
R.S.Merces

Lúcia Soares disse...

oi amiga
belo texto, uma maravilhosa noite bjs

Rosane Fantin disse...

Que texto emocionante, Denis!Me arrepiei e pude imaginar esse lago e seus barquinhos de papel. Para mim o barco mais importante é esse mesmo que tu embarcaste. Quando se tem fé, tudo fica mais fácil e as coisas acontecem, mais cedo ou mais tarde.
Lindo!
Um beijo, meu amigo!
Rosane

Vieira Calado disse...

E quem sabe reunir e colocar as palavras nos devidos lugares...
faz um poema!

Saudações transatlânticas!

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...