quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Princípios - entre nossos corpos?




O conhecimento tem como objetivo edificar sonhos; em outros casos, utopias. O sonho construído com o bem tem como resultado beneficiar, não somente a mim, mas no mínimo, e do modo menos egoísta, aos que amo. O conhecimento palpado nas veredas do engano é a heresia do mal, da falência, do promíscuo ínfimo, vai destruir em menos ou mais dias; vai mostrar para que veio. Não me custa tentar... Os riscos foram feitos para se descobrir a quantidade do que sinto; saber sobre quem somos não me envergonha a ponto de desistir... Acreditar em utopia é para quem já desistiu de sonhar; é para quem arrancou o coração com as mãos e apenas respira com cuidado para não se ferir. Eu não tenho escolha; sonho porque não há uma alternativa cabível naquilo que me tornei, e se isso for utopia, não sei o que significam meus sonhos; mal consigo me compreender como alguém que ama, e que se constitui através do amor que sente. Isso é conhecimento? É perder minha identidade para não pecar... É morrer quieta, consumida por um desejo apelidado de infame, para não sentir? Não sentirei quem sou se não sei como encontrar a espada que cortará a sua vida da minha?
O conhecimento em conchavo com a comunicação fará com que a vida desperte todos os dias com o desejo de respirar. Se o for, pelo o saber do mal alastrado por entre os microfones e holofotes da vida, este terá o domínio certeiro, pronto para arrastar pelos cabelos aquele que não for fiel aos seus sentidos – visão e audição... E não soube usar a seu favor o que de mais sagrado existe entre os homens – princípios.
A comunicação é o nosso refúgio; nela se encontra o nosso beijo, o toque; cheiro, e todas as outras formas de amor que pessoas consideradas normais, diferenciadas de nós, conseguem regar um do outro; regamo-nos através das palavras; a forma como escreve consegue reter em mim, o beijo que desejei receber na noite passada, antes de dormir; beijo-te todo; lambuzando os princípios que a mim não se aproximam, sentem-se desrespeitados pelo o meu desejo sem modos, inconvenientes, que não obedecem a dogmas quando seu único desejo é amar um homem sem rosto; sem identidade; sem um papel que rotula sua vida, ou um crachá que indique sua origem.
É bem simples entender... Se aqueles homens que construíram a bomba atômica soubessem que estariam aprendendo a fórmula que mais tarde poderá ser usada contra si, talvez houvesse espaço para entender que não compensa trocar os princípios pela ganância e o poder, tolhendo o verdadeiro conhecimento de sobreviver.
É bem simples entender; se esses homens que construam os motivos atômicos capazes de auferir a mim, e ao que amo, como algo estúpido e amoral seriam capazes de conhecer através da audição e visão, a repugnância que é viver ao meio, programados por botões que obedecem a apenas ¼ de sua mente animal, racional, e ilógica.

(Texto retirado do livro O SEGREDO DE EVA de Adriana Vargas)



Texto e criação do autor, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

10 comentários:

Paulo Cesar PC disse...

Olá Adriana, queira receber meus comprimentos pelo belíssimo e inteligente texto. Uma abordagem feita com grande sabedoria e com verdades contidas nele. Compartilho de tudo que no texto de forma brilhante foi por você descrito. Se me permite, tem uma frase que gosto muito de repetir e que diz assim. Sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só, mas sonho que se sonha junto é realidade. Conheci essa frase que na voz do inesquecível Raul Seixas, ficou muito bem musicada com o título de, preludio. Um beijo no seu coração.

Anna Leão disse...

Eu estou lendo O Segredo de Eva...Extremamente visceral!!!

Palavras disse...

Olá,

a Adriana como sempre, com suas maravilhosas palavras!!!

Beijos

elvira carvalho disse...

Excelente texto Adriana. Forte, intenso e verdadeiro. Seu livro deve ser muito bom.
Um abraço

@ Moda e Eu. disse...

Muito legal, beijos

Evanir disse...

Boa Noite Minha Amada Madrinha.
A cada texto postado do livro de Eva,
mais e mais vem o desejo de adquirir
sua obra.
Fiquei muito feliz depois de falar contigo ontem
hoje sei que ainda existe seres humanos ,
que além de amar respeita as dores também.
Adriana..Em quanto eu viver nunca vou esquecer que além de amiga encontrei um anjo de filha na minha vida.
Deus tem bençãos para pessoas como você doce menina.
Bjs.
Eva

Amandio disse...

Salve Raul ou melhor: TOCA RAUL!!!!
Você usou bem o Seixas.
Temos que acreditar em nossos sonhos mas juntos podemos realizar, Sonhos uno, sonhos mutuo,
seu texto profundo e apoiado pela a maioria que ler parabéns Drica Beijos mil...

Fernando disse...

Oi, muito bom, já estou seguindo, e obrigado por visitar meu blog ! :)


Fernando | Nerd Literário.

http://nerdliterario.blogspot.com/

Kim disse...

Eva
... a falha de comunicação e não só!
Também a falta de tolerância entre pessoas é ... o princípio do fim!
beijinho

Rosane Fantin disse...

Como sempre um texto profundo e muito verdadeiro, mais uma vez confirmando o talento da Adriana.
Parabéns!
Beijos!

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...