sábado, 25 de fevereiro de 2012

Carta de um condenado - R.S.Merces




Às mulheres de minha vida,

Primeiro digo a senhora minha mãe. Perdoe-me por não amá-la o suficiente, deixando-a fora dos meus erros. Como tem sido seus dias, recorre-me a cada segundo pensar e menear a isso. Todos os olhos acusadores devem lhe assustar e arrependo-me ainda mais. Carregar o fardo que pertence a mim não era por direito seu. É muito fácil escrever essas palavras e espero que quando lê-las não derrame lágrimas. Um pedido impossível, eu sei, todavia pertence a mim, agora, refletir e cair em cólera. Temo estar errado sobre as mudanças depois de estar aqui, portanto não faço planos para um futuro. Vejo os dias nascerem e as noites perdurarem numa eternidade, e minha mente permeia no agouro impregnado nas paredes frias.
Ao passo que nossas vidas mudaram após a separação sua e do papai, os cochichos devem a acusar por isso. Lembre-se eu tinha dois caminhos para trilhar e sempre soube o certo e o errado. Eles estavam diante dos meus olhos e infelizmente escolhi o errado. Saiba que não a culpo por isso e discordo dos que a acusam. Tente também não escutar e durma muito, faz para bem às olheiras. Chegou-me o que me mandou. Fico feliz que não tenha entrado e assim peço para permanecer enquanto estiver aqui. Rasparam minha cabeça e obrigam-me a vestir vermelho. Não se esqueça de quem eu era e abstraísse daquela imagem ainda criança. Podia pegar-me no colo e abraçar exalando seu calor e extinto protetor. Revire minhas fotos quando sentir saudades, mas imploro não venha ver-me aqui. Por favor, peço ainda para reservar o seu sacrificado dinheiro em prol da senhora mesma. Não o gaste com advogados. Reconheço meu erro e quero pagar por ele.
Agora mandarei saudações a minha querida namorada. Tanto lembro-me dela na solidão desse recinto. Muitas das palavras ditas a minha mãe, queria que fossem válidas a você. Não venha me ver. Saía com suas amigas, curta a noite e não hesite em procurar um bom partido para você. Na manhã seguinte não chore lembrando-se de mim. Amei cada segundo em que compartilhamos juntos, mas será melhor assim. Dói-me dizer isso sem poder olhar nos seus olhos. Poderemos um dia nos esbarrar por esse mundo e espero cultuarmos sorrisos um para com o outro.
À minha irmã suplico o perdão por quebrar sua inocência expondo-a àquela cena deplorável. Os homens da lei não fizeram mal ao seu irmão, foi seu irmão que fez mal a eles. Não escute as histórias e prometa a mim sempre seguir o caminho certo. Estou esperando sua resposta.

P.S. Amo todas vocês.     

R.S. MERCE

12 comentários:

Cesar S. Farias disse...

Impressionante a autenticidade da carta. Trabalho junto á condenados e achei as palavras bastante realistas. Parabens.

Clube dos Novos Autores - CNA disse...

Lindo, lindo!Renan, você sempre arrasando!
E sabe muito bem, o quanto é bom nisso.
Abs.

mfc disse...

Uma carta que é uma lição!

Gabrielle Venâncio Ruas disse...

Que texto lindo e tocante, parabéns! Muito bem contruído e bem feito, é realmente um presente para os leitores!

Fabiana Cardoso disse...

Fiquei emocionada ao ler o texto, tão sincero e realista! Em poucas linhas este condenado demonstra arrependimento, amor e desprendimento, simplesmente maravilhoso! Parabéns e obrigada pela linda mensagem!

Mia disse...

Realmente emocionante.
Você já deve saber, mas não posso deixar de dizer que você escreve muito bem.
Parabéns!!!

Renata disse...

Muito legal. :)

J.C.Hesse disse...

Forte! Feito para refletir!
Abraço,
J.C.Hesse

Nanda Meireles disse...

Renan, parabéns! Suas palavras me emocionaram. Como disse o Jean, é forte e nos faz refletir sobre tanta coisa... Obrigada por nos brindar com esse presente.

Abraço ;)

Rubens Conedera disse...

Como sempre Renan, incrível! O texto é simplesmente demais!!

renansouzamerces disse...

Quanto comentários bacanas. Meu Deus!!!!!!!!!!
É tão bom saber e ler todos esses comentários e um sorriso se abre no rosto cheio de felicidade.
Obrigado a todos que acompanham meus textos no Clube Novos Autores.

Grande Abraço,
R.S.Merces

Antonio Rubilar B. Valente disse...

Amigos do CNA!!!Estou seguindo o blog, que achei muito legal.Tomei a ousadia de publicar em meu blog esta carta de um condenado.Achei muito eloquente a forma como ele se expressou para as mulheres de sua vida.Só o fato de reconhecer seu erro e querer pagar à sociedade, acredito que já é um começo não é mesmo?Sucesso ao blog!Um grande abraço, Rubi.

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...