terça-feira, 6 de março de 2012

VÁ...



Não te procuro, nem mesmo para te dar o último adeus.
Fique com meus olhos; a intenção de minhas preces...
No entanto, esqueça o coração tolo que se abriu à inocência de um querer.

Vá, não olhe para trás...
Não se lembre da lágrima que fala e implora
Não zombe do matreiro desejo que se expressou sem medo
Tal qual a criança ao abraçar seus heróis...

Vá, sem mesmo entender o que te dei.
Não culpo o seu coração vagabundo que não tem nada a dar
Que não sabe amar.
Não condenarei suas mãos, cegas e medíocre, apunhalando-me pelas costas.
Quebre meu telhado, esvazie-se de mim...

Vá, leve...
A imagem digna de um sorriso que te desejou o bem.
Dos lábios que te abraçaram num beijo ofegante...
Não sabe o valor das palavras que traem ao dizer,
Te amo Tanto...

Ao sair, leve a porta junto...
Não sei viver olhando para ela, na esperança de vê-lo voltando
Com os braços aberto, dizendo:
Amor que saudades...

Leve a esperança que trai o esquecimento.
As juras falsas e venenosas faladas baixinho no ouvido...
Leve este sangue quente que dá vida ao meu sentimento
Mate-o de fome!
Seque-o! Até que a indiferença chegue à alma.
Até a razão me fazer entender
Que nosso tempo acabou
Que a vela apagou...

Nem que eu tenha que morrer e renascer
Nem que eu tenha que roubar o saber
Que roube!
Para aprender, o tom e os passos
Que me façam esquecer...
Quente
Vivo
Falso
Santo
Infinito...
O meu amor por você!




Texto de Adriana Vargas:

Texto e criação do autor, ao utilizar este texto, por favor, não se esqueça de mencionar a autoria.

8 comentários:

J.C.Hesse disse...

Isso mesmo, rasga a alma e coloca para fora as víceras do seu amor. Vomita-o!
Amei!
Abraço,
J.C.Hesse

lucas repetto disse...

Que nunca me amem, mas sou feliz porque amei. (Sou nobre)

Belas e vivas palavras.

Parabéns! Mesmo.

Fabiana Cardoso disse...

Tão intenso e lindo! Amei, mais uma vez parabéns!
Fabiana Cardoso

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

HUMMMMMMMM... UMA BELA DESPEDIDA. ESPEROM QUE A FONTE DE INSPIRAÇÃO PARA ESSE POEMA POSSA ENTENDER QUE A MOÇOILA JÁ NÃO QUER MAIS NADA COM ELE.

DEPOIS PASSA LÁ:
http://thebigdogtales.blogspot.com/2012/03/reflexo.html

Rubens Conedera disse...

Lindas palavras! Parabéns Adriana, belas palavras que devem ser chamadas de outra coisa que não texto, poema... Sem substantivos para descrever, ou adjetivos para classificar.

Marinah Gattuso disse...

Nossa, que texto lindo.
Gostei muito daqui.
Parabéns Adriana!

Beijos

Paul Law disse...

Texto sentimental de palavras simples mas de mensagem sublime. Talvez pessoal demais, talvez não... sua intensidade causa dúvida.

Abraço!

Paulo Cesar PC disse...

Adriana Vargas, parabéns pelo belo texto e inspiração! Aproveito para te desejar um feliz dia da mulher. Um beijo no seu coração.

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...