segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Paciência - A Virtude Perdida



Num mundo de corre-corre, imediatismo e stress em que vivemos podemos dizer que a paciência foi para o espaço.

Esta preciosa virtude, pouco valorizada, até mesmo menosprezada, deu lugar à irritação.

Se as coisas estão demorando, se alguém se atrasa, se não somos atendidos prontamente, em suma, se o mundo não gira ao nosso redor, ficamos irados, irritados, mal-humorados e impacientes.

Observo que muitas vezes esta impaciência tem origem na arrogância e prepotência. Aqui o ego se infla de uma maneira que nos sentimos reis e rainhas lidando com súditos. “Seja feita a minha vontade, aqui e agora!” É este o lema.

Neste momento falo do ego no seu sentido negativo, mas ele não é só isto. Não aguento o costume de falarmos do ego como se ele fosse algo demoníaco, que só existe para nos causar o mal.

O ego também tem o seu lado positivo, como quase tudo, ou tudo, na vida. É o ego que nos ajuda a colocar limites em vários aspectos de nosso ser e demarcar fronteiras. É ele também o responsável pela afirmação de nossa individualidade. Também conseguimos com a sua ajuda  sermos objetivos, traçarmos metas e atingi-las.

A questão é que devemos controlá-lo e não sermos controlados por ele. É uma questão de estar atento e não nos perdermos de nossa essência. Um bom trabalho constante de auto-conhecimento nos ajuda a lidarmos melhor com ele.

Voltando à paciência - e neste caso, como já disse, o ego é muitas vezes culpado - precisamos aprender a nos desprendermos de coisas pequenas que na ocasião parecem de extrema importância, mas não são.

É apenas alguém que se atrasou para nos atender, ou uma fila que está muito grande no banco porque nós fomos até lá no momento de maior pique. Ninguém está fazendo isto para nos prejudicar, ou porque não tem consideração ou respeito para conosco.

Precisamos tentar sermos mais leves e vermos as coisas de uma perspectiva mais ampla e não só a partir de nosso umbigo, de nossos complexos e traumas.

Se temos dificuldade com a paciência de uma forma diferente desta, talvez ela esteja ligada ao componente forte de ansiedade que precisa ser trabalhado.


De Metamorfose


Sabe aquela pessoa que está balançando o pé enquanto espera em algum lugar? Esta pessoa é muito ansiosa e precisa aprender a lidar com isto. Existem muitos exercícios para melhorar a ansiedade e algumas coisas que podemos fazer.

Por exemplo, ter algo que vai nos ocupar enquanto esperamos é muito bom, pois nos dá a sensação de que não estamos perdendo tempo, o que é importante para muitos.Um livro, um jornal, caneta e papel, e mesmo um celular - se bem que este pode incomodar os outros - podem ser grandes aliados nestes momentos. Eu por exemplo tenho sempre um bloco e caneta dentro da bolsa.

Agora, podemos também aproveitar este tempo “ocioso” e ficarmos no vácuo, isto é algo como uma meditação. Ficarmos lá quietos, olhando para o nada, descansando a mente.

Eu já fui muito assim. Ficava tranquila em um lugar esperando, divagando em meus pensamentos. Percebi que depois que comecei a fumar (comecei aos 30 anos, mas parei depois de alguns anos), aquela coisa de acender cigarro para tudo, principalmente para esperar, foi me fazendo ficar ansiosa e eu não conseguia mais ficar esperando alguma coisa com tranquilidade.

Mas saindo desta sala de espera, a paciência não tem só a ver com o ato de esperar. Ela também está presente no trato com as pessoas e até com a nossa relação com as coisas do mundo.

Ela é irmã da tolerância e o mundo está precisando muito das duas. Eu , você, todos nós, estamos precisando de mais paciência e tolerância.Ajuda muito estar centrado e sereno para desenvolver estas virtudes. Precisamos destas energias femininas, que nem nós mulheres temos mais, neste mundo com excesso do masculino.

Que tal começarmos por nós? Recebemos aquilo que doamos. As relações são uma permanente troca de energia. Por que mandar uma energia negativa de irritabilidade para alguém, criar tumulto em nossa vida e na do outro? Estragar o dia, nosso e do outro, é isto que queremos?

Vamos tentar nos ocuparmos com o que é realmente importante e deixarmos nosso imediatismo e insensibilidade de lado. Assim como achamos que merecemos consideração, o outro também merece. Sejamos então mais tolerantes, mais pacientes, a começar, com nós mesmos.

Anna Leão. Todos os direitos reservados.

4 comentários:

J.C.Hesse disse...

Tem toda razão, minha amiga, é muito importante exercermos a paciência, sem prostração, diante de momentos em que não nos sentimos confortáveis. Belo texto e boa dica!
J.C.Hesse

A.S. disse...

Belissimo texto!...


Beijos,
AL

Ordem do Saber disse...

O mundo precisa mesmo de tolerância.
vejo que você tem um auto grau de reflexão com os problemas do mundo, ao menos com o das pessoas.
Isso é bom de se ver.
Texto coerente e tudo o mais.

Estamos vivendo no mundo onde um dia tem 24 horas, mas as coisas nos requerem 72 horas.
Existe até uma tirinha do Calvin e Haroldo sobre isso que acho fantástico (e cômico).

Enfim, um bom domingo com muita paciência.

Corpo-Alma disse...

É BEM ASSIM MESMO, CREMOS QUE TEMOS PRIORIDADES EM TUDO. SE ALGO NAO SAI COMO QUEREMOS NOS IMEDIATAMENTE FICAMOS IMPACIENTES... MUITO BONITO SEU BLOG POETA... ABRACOS

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...