quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Que Título Darei ao Meu Livro?


O que fazer quando a sua ideia está bem elaborada, virou um bom texto, porém o título provisório ainda não fechou bem com toda a obra? Isso não acontece somente com nós, mas também com muitos escritores conhecidos.
Não se preocupe com títulos simples, como "O Jardineiro", "A Guerra", "O Paraíso", porque esses tipos são fáceis de marcar. Você também pode se aprofundar e ser mais ousado e criativo, como "Entre Gramas e Rastros", "Despojo de Saudade", "Passaporte para o Infinito". Perceba que esses títulos são os mesmos citados antes, respectivamente, porém foram mais incrementados.
Se você faz opção pelo primeiro exemplo de título, não se preocupe se alguém já escreveu antes ou se será plagiado, porque nessa situação é muito natural vários livros terem o mesmo título. O que vai distinguir os livros com o mesmo título é o ISBN (International Standard Book Number), que é o identificador do livro para o leitor, editora e livraria. Na Biblioteca Nacional, alguns livros nem mesmo título tem. São registrados e definidos com o nome do autor e a data de registro.
Mas nunca se prenda ao título para construir o seu livro. E se, por acaso, a história tomar outro rumo, obrigando a descartar o título original, não se preocupe. Deixe a história te guiar que logo um título mais conveniente irá lhe aparecer.
Pra encerrar, deixo uma breve crônica: Um barbeiro estava cortando o cabelo de um conhecido escritor e o profissional aproveitou a situação para falar de um livro escrito que mantinha engavetado há anos porque faltava apenas colocar um título apropriado. O escritor já estava impaciente com as lamúrias do barbeiro e não estava interessado em ajudar a batizar a literatura, porque teria que ouvir sobre a mesma. Logo, ele tratou de questionar:
- O seu livro fala de cornetas?- pergunta o escritor.
- Não!- responde o barbeiro.
- O seu livro fala de tambores?- pergunta o escritor.
- Também não. O tema é bem diferente.- resmunga o barbeiro.
- Então; está aí um bom título: "Nem Cornetas, Nem Tambores."




Leo Vieira é autor do livro "Alecognição", pela Editora Lexia.
Escritor acadêmico em 26 Academias e Associações literárias; ator; professor; Comendador; Delegado Cultural em duas cidades e Doutor em Teologia e Literatura.


4 comentários:

Jéssica Curto disse...

Adorei, o título no fim acaba sendo o de menos quando se faz uma obra, por isso digo que devemos colocá-lo apenas no fim, a luz uma hora aparece!!

Beijos,

Jéssica Curto

http://jessicacurto.blogspot.com

J.C.Hesse disse...

Boas dicas devem ser registradas, obrigado por esta.

http://www.escritorjchesse.blogspot.com.br/

Mariana Mello Sgambato disse...

Ahahaha, e ainda por cima ficou interessante o titulo criado rs!

Acacio Pereira disse...

Olá amigo, eu li esse post e tenho muito esse problema, meu título não me agrada, a palavra que mais se equivale ao meu livro é "Vagabundos" eu fiz "Vagabundos em missão" e "A missão dos Vagabundos", mas ainda falta algo... é uma bilogia, o segundo a palavra missão viraria guerra.... você pode me ajudar?

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
O sucesso deste blog depende de sua participação.
Comente!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...